sexta-feira, 5 de abril de 2013

NÓS

Agora que o afastamento se confirmou,
Vivo a realidade que não se afirmou,
Tratada como possibilidade indesejada,
Agora é cena do teatro da vida, ensejada.

No começo senti saudades de quase tudo,
Momentos nos quais preferi ficar mudo,
Mas conclui não ser sua falta que doía,
A impossibilidade de nós é que corroía.

Não imaginei que a escolha feita falharia,
Nós dois como um, me deu falsa impressão,
Que éramos felizes e nada atrapalharia,
Que éramos um único ser, sem repressão.

Mas nossa ausência agora é suave dor,
Cada dia que passa, esqueço mais cenas,
Interpretadas por nós, no teatro amador,
Reduzindo o amor a recordações, apenas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário