segunda-feira, 4 de novembro de 2013

FÁBRICA DE LETRAS

Elas são apenas vintes e seis...
Combinadas produzem certa mágica,
Da expressão factual, moderna ou atávica,
Que viram armas para alguns reis.

Palavras, sentenças e profanas orações,
Proferidas, escritas e eternizadas,
Vão-se ao vento, meras padronizadas...
Ou povoam mentes e atingem corações.

As letras são as mesmas em formatos,
Como se fossem fabricadas em seqüência,
Mas extrapolam a condição de ornatos,
Quando a paixão dita a freqüência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário