sábado, 30 de março de 2013

ARTISTA PLÁSTICO

Muitos não sabem, mas eu confesso,
Não me livrem do prazer, eu peço...
Da dor arrebatadora no coração,
Presente em cada ato de criação.

Medo pungente na alma cerrada,
Medo presente da pincelada errada,
Medo da proporção equivocada,
A inspiração é sempre invocada...

Medo da linha torta que devia ser reta,
E se o papel rasgar no meio do processo?
Não sei se haverá fracasso ou sucesso...
Depende de quem sente e interpreta...

Um comentário:

  1. Desabafo sincero do grande artista plástico e amigo Pedro Pontes.

    ResponderExcluir